domingo, 8 de janeiro de 2012

Rejeição

:: Elisabeth Cavalcante ::



O amor é o mais importante combustível para a nossa vida. Ele nos nutre e fortalece nosso ser, tornando-os fortes para enfrentar qualquer desafio que a vida nos apresente.

Mas, quando este alimento não nos é dado na medida exata, principalmente no inicio de nossas vidas, a autoconfiança e o sentido de valor que nos atribuímos pode ficar seriamente comprometido.

Desde muito cedo aprendemos o prazer que o amor e a aprovação de nossos pais podem nos proporcionar, e percebemos como a falta desse amor é dolorosa.

O sentimento de rejeição por parte da mãe ou do pai é, infelizmente, muito comum neste mundo em que os seres humanos, em sua grande maioria, ainda não vivenciam o estado de equilíbrio ideal para formar uma família.

A falta de maturidade e preparo para a importante tarefa de criar um filho, está na raiz do sentimento de rejeição. Dificuldades materiais, insegurança na relação afetiva e problemas emocionais não resolvidos podem fazer com que um filho, que deveria ser motivo de alegria e realização interior, acabe sendo recebido como um fardo pesado demais.

Para muitas pessoas este sentimento é inconsciente e nem sempre percebido objetivamente. Mas a criança rejeitada, na maioria das vezes acaba atribuindo a si a culpa pelo fato de não ser amada, e introjeta um sentimento de que não tem qualidades suficientes para merecer esse amor.

Como as emoções e percepções de nossa infância acompanham-nos ao longo da vida, continuamos, na idade adulta, carregando os sentimentos da criança que fomos um dia. A falta de amor por parte dos pais acaba fazendo com que a pessoa se recuse a amar a si mesma, por achar que não é merecedora.

Ao mesmo tempo, segue faminta, carente de atenção, aceitando qualquer migalha que alguém se disponha a lhe dar. A carência está por trás de muitas relações afetivas infelizes, já que a ânsia por estabelecer um relacionamento afetivo, faz com que as pessoas ignorem os sinais que a vida apresenta, de que aquela relação não será capaz de preencher seu vazio interior.

Para sair de tal labirinto são necessários vários passos: em primeiro lugar libertar-se do sentimento interior de culpa, e perceber que as causas da rejeição não estão relacionadas com ela, mas sim com dificuldades e bloqueios daqueles que a rejeitaram.

O segundo, e mais importante passo, é perdoar. Por mais difícil que seja, esta etapa do processo é essencial para que a libertação se concretize. Aprender a ver os próprios pais como seres em evolução, com fragilidades, bloqueios e limitações é a única forma de conseguir ter por eles a compaixão necessária para o exercício do perdão.

O próximo passo é praticar, diariamente, o amor por si mesmo, esforçando-se por perceber objetivamente as próprias qualidades e aceitar-se exatamente como se é.

Quando conseguimos nos amar e nos nutrir emocionalmente, tornamo-nos livres para estabelecer relacionamentos afetivos baseados no desejo de compartilhar, e não mais na necessidade de termos preenchido nosso vazio interior.

Amor e a capacidade de estar só (Trecho retirado de Osho, The Dhammapada)

Você deveria ser capaz de estar só, completamente só e, ainda assim, tremendamente feliz. Então, você pode amar. Então, seu amor não é mais uma necessidade, mas um compartilhar, não mais é uma carência. Você não se tornará dependente das pessoas que você ama. Você compartilhará - e compartilhar é bonito.

Mas o que comumente acontece no mundo é: você não tem amor, a pessoa que você pensa que ama não tem nenhum amor em seu ser também, e ambas clamam pelo amor do outro. Dois mendigos mendigando entre si. Como resultado, as brigas, o conflito, a contínua rixa entre os amantes - a respeito de coisas triviais, coisas imateriais, coisas estúpidas! Mas continua-se brigando.

... A fundação básica está faltando, e você começa a construir o templo sem a fundação. Ele irá cair, desabar a qualquer momento. E você sabe quantas vezes seu amor ruiu. E, ainda assim, você prossegue fazendo a mesma coisa repetidamente. Você vive em tal grau de inconsciência! Você não vê o que você tem feito à sua vida e à vida das outras pessoas. Você continua, como um robô, repetindo o velho padrão, sabendo perfeitamente bem que você já fez isso antes. E você sabe qual tem sido, sempre, o resultado. E lá no fundo você também está ciente de que vai acontecer o mesmo novamente - porque não há nenhuma diferença. Você está se preparando para a mesma conclusão, o mesmo colapso.

Se há algo que você deve aprender do fracasso do amor, é: torne-se mais consciente, mais meditativo. E por meditação eu quero dizer a capacidade de estar alegre sozinho. Muito raras pessoas são capazes de estarem felizes sem absolutamente nenhuma razão - simplesmente sentar-se em silêncio e completa felicidade! Os outros acharão essas pessoas loucas, porque a idéia de felicidade é que ela tem que vir de alguém. Você encontra uma linda mulher e você fica feliz, ou você encontra um homem belo e você fica feliz. Sentar-se em silêncio em seu quarto e feliz?! Feliz desse jeito!? Você deve estar louco! As pessoas vão suspeitar que você está usando alguma droga, que você está chapado.

Sim, a meditação é o LSD definitivo. Ela está liberando seus poderes psicodélicos. Está liberando seu próprio esplendor aprisionado. E você se torna tão alegre, surge tal celebração em seu ser, que você não necessita de nenhum relacionamento. Você pode se relacionar com as pessoas.... E esta é a diferença entre relacionar-se e relacionamento: relacionamento é uma coisa: você se apega a ele; relacionar-se é um fluxo, um movimento, um processo. Você encontra uma pessoa, e você ama, porque você tem muito amor disponível.

8 comentários:

  1. Eu tinha um equilíbrio danado das minhas emoções e sabia lidar com inúmeras coisas. Um dia, quando me deparei com uma situação inimaginável, de algo que poderia ter acontecido e não aconteceu.

    De algo que foi rejeitado e isto me machucou profundamente, me machucou por senti a presença da pessoa e, ao mesmo tempo, nenhum sinal, nenhuma resposta de fosse ela. Ao mesmo tempo que vinha a rejeição, vinha esta sensação. E meu controle, foi quase a zero. E não por falta de me conhecer ou seja lá o que for, é que existem pessoas que, pela maneira como te rejeitam, mesmo sabendo ou não podem fazer estragos. Mas não quero me colocar como vítima e colocar a pessoa como um carrasco porque não é.

    Fui que não soube lidar com este tipo de situação. Hoje, quando vejo coisas do tipo auto ajuda de neguinho falando isto ou postando aquilo, fico triste por ver o quanto superficial pode ser o sentimento de algumas pessoas. Minha mente e a forma de eu ver o mundo é precisa ser resgatada. Deixar de amar, o tempo cuidará disto. O maior desafio, agora, é retomar a mim mesma.

    São situações que acontecem, neh gente. Pensando um pouco além sobre isto claro, talvez seja esta a dificuldade de eu superar, por ter a péssima mania de ver as coisas sobre várias ângulos, é que percebe que o receio do homem em relação à rejeição passa até pela questão bíblica.

    Não sei quem tem a razão, pela fé, creio na Bíblia. Mas o Evolucionismo diz que isto é necessidade de preservação, a Bíblia fala para que guardemos nossos corações a fim de que sejamos mais equilibrados. Mas no fundo, fundo, até a salvação fala em rejeição. O homem rejeita o próprio criador e, aos poucos, definitivamente se afasta e não há mais presença do Senhor nele.

    A rejeição amorosa não tem a morte eterna como na crença, mas há dores e a incapacidade de aceitação da dor. Este é o maior problema, o maior desafio é lidar com a dor. E dor só se combate com medidas para que sejam eliminadas.

    Passar por estas coisas têm seu lado bom e ruim, o bom é porque te ajuda a conhecer mais o ser o humano e não esperar muito nem de vc nem dele. O lado ruim é que, quanto mais vc conhece o ser humano, mais torna-se perceptível suas atitudes.

    E lidar com isto, saber o caminho que as pessoas vão tomar não gosto disso. Não me interessa muito a vida das pessoas individualmente, tenho mais preocupações sociais do que a vida das pessoas individualmente. E não gosto de olhar para alguém e ver as duas coisas nela.

    Acho que é por isso que não gosto de sentir dor, me aguça para conhecer o homem, mesmo não querendo saber disto. Não vejo como individualismo, mas é que acho realmente uma chatice certas coisas da vida e saber conviver com ela é horrível.

    O que posso dizer? Conheci o amor de verdade, mas não fui capaz de tê-lo. A mim não foi permitido. Está zerado? Não sei, alguns dizem que amor só acontece uma vez. Outros dizem que as vidas, podem sim, ser refeitas. Não sei o que poderei afirmar no futuro, porque certas coisas só podemos falar quando ocorre conosco.

    Mas não impede de desejarmos felicidade a quem não nos quis, deve ter tido suas razões. Sempre temos nossas razões para dizermos sim ou não a alguma coisa na vida e,não especificamente, em relacionamentos amorosos.

    A Bíblia diz que quem não ama não conhece a Deus pq Deus é amor. Claro que este amor é o agapal e, sobre este tenho prazer em ver a vida em sociedade coroada de glória. Já individualmente a vida do ser humano, ou seja, querer saber isto ou aquilo não me atrai.E eu vejo isto de forma intensa o "sucesso" sendo explorado e, por trás disto, as frases de efeito de sempre.

    A minha concepção de vida é tão diferente. "E quando eu tiver saido, para fora do teu círculo, tempo, tempo, tempo, vou te fazer um pedido." Acho que minha cabeça está mais para metafísica. Também penso que no fundo, no fundo o amor me atraiu pq vi algo na pessoa que existia em mim. Talvez possa ter me enganado, mas vi.Quem sabe vi, mas não foi permitido a mim sentir. Não sei.

    ResponderExcluir
  2. Muito inteligente o texto, adorei pois é isso mesmo que acontece.

    ResponderExcluir
  3. Gostei mto do texto,mto claro e verdadeiro.
    Parabéns 😤

    ResponderExcluir
  4. Texto claro,e fácil de entender.
    adorei!

    ResponderExcluir
  5. Obrigadíssima pelo texto,foi muito importante para mim,eu precisava dessas palavras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é sempre bem vinda Maria Luíza! 😘

      Excluir
  6. Meus pais me rejeitam e eu não sei o que fazer 😪😪

    ResponderExcluir
  7. Fernanda,
    Achei muito inteligente suas considerações, mundo precisa muito de pessoas como você!
    Giliane
    gilianer@hotmail.com

    ResponderExcluir